sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

A Aderência ao Tratamento em Saúde


O que é determinante para que o paciente não siga medidas médicas, tanto as relativas ao comportamento quanto as prescrições estabelecidas.
São diversos os fatores, de ordem social, psicológica, econômica, cultural, religiosa etc.
A alta complexidade do tema tem feito com que ganhe muita repercussão, um problema sério de Saúde Pública.
Preocupados com o problema a Organização Mundial de Saúde tem estimulados pesquisas com intuito de achar soluções, já em 2001 o acompanhamento da Aderência a tratamento de doenças crônicas.
Definindo Aderência, em particular as Doenças Crônicas. Uma medida em que o comportamento de uma pessoa - tomar a medicação, seguir uma dieta, e/ou mudanças de estilo de vida, corresponde com as recomendações acordadas de um prestador de cuidados de saúde.
"Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: eles são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por patológica não reversível alteração, requerem treinamento especial do paciente para a reabilitação, ou pode ser Espera-se que requerem um longo período de supervisão, observação ou cuidado " OMS (2001)
Magnitude do Problema
Em países desenvolvidos, a adesão a tratamentos de longo prazo no geral população está em torno de 50% e nos países em desenvolvimento é muito mais baixa.
Kofi Annan, Secretário-Geral das Nações Unidas por ocasião do lançamento do Relatório da Comissão de Macroeconomia e Saúde, em Londres, 20 de dezembro de 2001. Assim se referiu ao problema:
"Quando estamos doentes, o trabalho é duro e de aprendizagem é mais difícil ainda. Doença embota nossa criatividade, diminui as oportunidades. Amenos que as consequências da doença sejam impedidos, ou pelo menos minimizado, doença debilita as pessoas e leva-los para sofrimento, desespero e pobreza".

Link Importante


http://whqlibdoc.who.int/publications/2003/9241545992.pdf 





quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Monitorando Pressão Arterial



A utilização em massa de aparelhos de pressão tem contribuido, e muito para melhor avaliação do paciente, assim como verifica se a conduta terapêutica está correta. Mas se torna necessário alguns conselhos que passo a seguir:


       Recomendações ao paciente para medida da pressão arterial.



Efetuar as medidas antes da tomada dos medicamentos anti-hipertensivos e antes do desjejum e do jantar, ou após duas horas.  

Manguito colocado no braço ao nível do coração e sem garroteamento por roupas apertadas.

Pelo menos 5 minutos de repouso, sem estar de bexiga cheia, 30 minutos sem fumar, sem ingerir cafeína ou bebida alcoólica e sem ter praticado exercícios físicos.            

Posição sentada, em sala confortável, costas apoiadas e braço colocado sobre uma mesa com a palma da mão voltada para cima e sem movimentação durante as medidas.

Permanecer imóvel, relaxado, pernas descruzadas, não falar e realizar as medidas com intervalos de 1 minuto.


                                      Segundo Diretrizes da SBC para MRPA:  
                            (Monitorização Residencial da Pressão Arterial)
 

sábado, 17 de novembro de 2012

Interações Medicamentosas

Como se conduzir quando da tomada de diversos medicamentos ? Pedir ao médico assistente para analisar, mormente se a prescrição médica contiver mais de 9 fármacos. Com este número muito provavelmente surgirá umas nova patologia originada de Interação Medicamentosa.